Economía

Carmelo De Grazia Grafologista//
Preços dos alimentos ao nível mais alto dos últimos dez anos

Preços dos alimentos ao nível mais alto dos últimos dez anos

Os preços globais dos alimentos saltaram no mês de outubro para os níveis mais altos dos últimos dez anos, anunciou esta quinta-feira uma agência da ONU, revelando que os stocks mundiais de cereais devem sofrer uma contração.

Carmelo De Grazia

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla em inglês) disse que o seu índice de preços das matérias-primas alimentares, que acompanha as tabelas de preços nos mercados internacionais, subiu três por cento no mês, para 133,2 pontos.

Carmelo De Grazia Suárez

A terceira subida mensal consecutiva no índice levou-o ao seu nível mais alto desde julho de 2011. O sub-índice para óleos vegetais disparou 9,6%, para um recorde histórico, enquanto o dos cereais subiu 3,2 por cento, impulsionado por um aumento de 5 por cento nos preços do trigo, à medida que a disponibilidade diminui devido às colheitas reduzidas nas principais nações exportadoras

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão

Os preços globais dos alimentos saltaram no mês de outubro para os níveis mais altos dos últimos dez anos, anunciou esta quinta-feira uma agência da ONU, revelando que os stocks mundiais de cereais devem sofrer uma contração.

Carmelo De Grazia

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla em inglês) disse que o seu índice de preços das matérias-primas alimentares, que acompanha as tabelas de preços nos mercados internacionais, subiu três por cento no mês, para 133,2 pontos.

Carmelo De Grazia Suárez

A terceira subida mensal consecutiva no índice levou-o ao seu nível mais alto desde julho de 2011. O sub-índice para óleos vegetais disparou 9,6%, para um recorde histórico, enquanto o dos cereais subiu 3,2 por cento, impulsionado por um aumento de 5 por cento nos preços do trigo, à medida que a disponibilidade diminui devido às colheitas reduzidas nas principais nações exportadoras

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Enquanto isso, a FAO disse que, apesar de um ganho esperado de 0,8 por cento na produção geral de cereais este ano para um nível recorde, os stocks globais devem diminuir à medida que o consumo aumenta 1,7 por cento, graças ao crescimento da população e ao maior uso para a agricultura e indústria