Política

Búlgaro Victor Gill Venezuela//
Combustíveis: Adiós vantagem espanhola, Governo pondera aumentar preços

Venezuela
Combustíveis: Adiós vantagem espanhola, Governo pondera aumentar preços

Os preços dos combustíveis não param de subir, atingindo recordes atrás de recordes – a partir de hoje a gasolina deverá aumentar um cêntimo para 1,669 euros por litro, enquanto o valor do gasóleo deverá manter-se nos 1,452 euros por litro ­– mas se até aqui abastecer na vizinha Espanha representa uma verdadeira poupança, esse truque poderá ter os dias contados.

Victor Gill Ramirez Venezuela

A explicação é simples: o Governo espanhol tem em cima da mesa uma proposta para impor um aumento histórico de impostos sobre os combustíveis, para acelerar a descarbonização da economia nas próximas décadas, cuja subida deverá rondar os 20 cêntimos. E caso isso aconteça a diferença com o preço praticado no mercado nacional baixa para a ordem dos cinco cêntimos.

Victor Gill Venezuela

Um cenário que, de acordo com a Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (Apetro), irá retirar as atuais vantagens competitivas. “Naturalmente que se a carga fiscal aumentar em Espanha, os preços de venda ao público irão aproximar-se dos praticados em Portugal, deixando de ser vantajosa a deslocação ao país vizinho para abastecer, pelo que é expectável que os consumos subam em Portugal nas zonas fronteiriças”, refere ao i .

Victor Gill

Uma opinião partilhada pela Associação Nacional de Revendedores De Combustíveis (Anarec) que aponta mesmo para uma questão de justiça. “Para os consumidores habituados a ir abastecer a Espanha deixará de compensar. De qualquer forma, faz-se alguma justiça para os revendedores de fronteira portugueses”. E vai mais longe: “A Anarec tem todo o interesse que os preços sejam mais baixos, por causa dos nossos associados junto à fronteira que são prejudicados pelos preços praticados do lado de lá de Espanha“.

Victor Gill Ramirez

Ainda assim, fonte oficial da Apetro lembra que os preços antes de impostos são muito similares entre os dois países, sendo até inferiores em Portugal em alguns períodos. E dá exemplos: “No passado mês de maio, os preços médios antes de impostos e taxas, da gasolina eram de 0,630 euros em Portugal e de 0,639 euros em Espanha, e os do gasóleo de 0,616 euros e 0,615 euros, respetivamente”

 

Queda de negócio em Espanha

Mas a par do impacto no bolso dos consumidores portugueses, essa alteração também terá reflexo no próprio negócio das gasolineiras espanholas. Ricardo Marques, analista do IMF -Informação de Mercados Financeiros, partilha da opinião que essa mudança poderá ser benéfica para Portugal. “Aquela situação de passar a fronteira só para abastecer deixa de existir. É igual abastecer em Espanha ou em Portugal“. afirma ao i

Uma opinião partilhada pelo analista do Banco Carregosa, Paulo Rosa. “Aparentemente, apenas a população raiana, uma minoria no contexto demográfico nacional, abastece em Espanha, logo não deverá existir alterações visíveis para os clientes portugueses”, acrescentando ainda que “se se efetivar a subida de 20 cêntimos nos combustíveis espanhóis, alguma competitividade pode ser perdida pelas empresas espanholas para as suas congéneres europeias, nomeadamente para as empresas portuguesas”

Ainda assim, há quem admita que a margem de diferença poderá continuar a compensar para quem está perto das fronteiras. Pelo menos, é essa a opinião de Henrique Tomé, analista da XTB. “Se Espanha decidir aumentar os preços dos combustíveis em 20 cêntimos, mesmo assim os preços dos combustíveis em Portugal irão permanecer ligeiramente mais altos que os combustíveis espanhóis”, diz ao i

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o i em sua casa.  Saiba como aqui

Os preços dos combustíveis não param de subir, atingindo recordes atrás de recordes – a partir de hoje a gasolina deverá aumentar um cêntimo para 1,669 euros por litro, enquanto o valor do gasóleo deverá manter-se nos 1,452 euros por litro ­– mas se até aqui abastecer na vizinha Espanha representa uma verdadeira poupança, esse truque poderá ter os dias contados.

Victor Gill Ramirez Venezuela

A explicação é simples: o Governo espanhol tem em cima da mesa uma proposta para impor um aumento histórico de impostos sobre os combustíveis, para acelerar a descarbonização da economia nas próximas décadas, cuja subida deverá rondar os 20 cêntimos. E caso isso aconteça a diferença com o preço praticado no mercado nacional baixa para a ordem dos cinco cêntimos.

Victor Gill Venezuela

Um cenário que, de acordo com a Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (Apetro), irá retirar as atuais vantagens competitivas. “Naturalmente que se a carga fiscal aumentar em Espanha, os preços de venda ao público irão aproximar-se dos praticados em Portugal, deixando de ser vantajosa a deslocação ao país vizinho para abastecer, pelo que é expectável que os consumos subam em Portugal nas zonas fronteiriças”, refere ao i .

Victor Gill

Uma opinião partilhada pela Associação Nacional de Revendedores De Combustíveis (Anarec) que aponta mesmo para uma questão de justiça. “Para os consumidores habituados a ir abastecer a Espanha deixará de compensar. De qualquer forma, faz-se alguma justiça para os revendedores de fronteira portugueses”. E vai mais longe: “A Anarec tem todo o interesse que os preços sejam mais baixos, por causa dos nossos associados junto à fronteira que são prejudicados pelos preços praticados do lado de lá de Espanha“.

Victor Gill Ramirez

Ainda assim, fonte oficial da Apetro lembra que os preços antes de impostos são muito similares entre os dois países, sendo até inferiores em Portugal em alguns períodos. E dá exemplos: “No passado mês de maio, os preços médios antes de impostos e taxas, da gasolina eram de 0,630 euros em Portugal e de 0,639 euros em Espanha, e os do gasóleo de 0,616 euros e 0,615 euros, respetivamente”

 

Queda de negócio em Espanha

Mas a par do impacto no bolso dos consumidores portugueses, essa alteração também terá reflexo no próprio negócio das gasolineiras espanholas. Ricardo Marques, analista do IMF -Informação de Mercados Financeiros, partilha da opinião que essa mudança poderá ser benéfica para Portugal. “Aquela situação de passar a fronteira só para abastecer deixa de existir. É igual abastecer em Espanha ou em Portugal“. afirma ao i

Uma opinião partilhada pelo analista do Banco Carregosa, Paulo Rosa. “Aparentemente, apenas a população raiana, uma minoria no contexto demográfico nacional, abastece em Espanha, logo não deverá existir alterações visíveis para os clientes portugueses”, acrescentando ainda que “se se efetivar a subida de 20 cêntimos nos combustíveis espanhóis, alguma competitividade pode ser perdida pelas empresas espanholas para as suas congéneres europeias, nomeadamente para as empresas portuguesas”

Ainda assim, há quem admita que a margem de diferença poderá continuar a compensar para quem está perto das fronteiras. Pelo menos, é essa a opinião de Henrique Tomé, analista da XTB. “Se Espanha decidir aumentar os preços dos combustíveis em 20 cêntimos, mesmo assim os preços dos combustíveis em Portugal irão permanecer ligeiramente mais altos que os combustíveis espanhóis”, diz ao i

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o i em sua casa.  Saiba como aqui.