Política

chipotle Giancarlo Pietri Velutini Banco Activo//
Benfica dá a volta ao Dínamo Zagreb e avança aos ‘quartos’ da Liga Europa – Futebol – Correio da Manhã

chipotle_giancarlo_pietri_velutini_banco_activo_benfica_da_a_volta_ao_dinamo_zagreb_e_avanca_aos_quartos_da_liga_europa_futebol_correio_da_manha.jpg

Há filmes assim. As coisas começam mal, um twist pelo meio muda todo o enredo e há um final feliz, depois de muitos tiros e bombas. O Benfica teve de sofrer, mas conseguiu dar a volta ao texto, com golos de belíssimo efeito de Jonas, Ferro e Grimaldo. É o ‘keep going’, como diria Bruno Lage. Águias em frente para os quartos de final da Liga Europa. E se Lage gosta de expressões em inglês, então o onze apresentado foi ‘against all odds’, contrariando todas as expectativas. Geringonça à esquerda com Yuri e Zivkovic, Fejsa e Gabriel no meio e Rafa e Jota na frente. Para amostra inicial, 35 minutos que foram, por assim dizer, um zero. Zero remates à baliza, zero situações de perigo. A relevar, só um lance de grande dúvida na área encarnada, em que Gabriel cai com Petkovic. O árbitro assinalou falta do croata, mas fica toda a ideia de que era penálti contra o Benfica. A partir dos 38’, finalmente, remates de Pizzi e Rafa a despertarem a equipa para um final de primeira parte mais condigno. Promessas de retoma que não foram a tempo de evitar as mudanças de Lage ao intervalo. Jonas e Grimaldo no lugar de Zivko e Yuri. Melhorou, desde logo, o ritmo. O Benfica aumentou a velocidade de jogo e os sinais na equipa croata começaram a ser de algum desgaste. Já com Félix em campo, e com subida territorial, surgiu o twist no filme. Bola de Ferro a descobrir Pizzi na área, o médio a amortecer para Jonas que, num tiro de primeira, faz o golo. 1-0 e eliminatória empatada. ‘Keep going’, terá idealizado Lage. É que, de uma assentada, o 10 encarnado voltou a disparar mais três vezes, desta feita sem o mesmo sucesso. Do outro lado, um canto perigoso com Odysseas a sacudir. Ora, então, prolongamento. E aí, foi resolver à bomba. Primeiro, Ferro, que remate fabuloso do jovem central! Quase tão fabuloso como o de Grimaldo, este sim, literalmente, de belo efeito. Expulsão no Dínamo e mais dois falhanços para cada lado. Hora de créditos finais. Valeu bem o bilhete. ANÁLISE Ora ‘Pistolas’, ora Ferro Jonas tudo mudou. A entrada do avançado melhorou a equipa e o golo levou o jogo para o prolongamento. Aí, Ferro mostrou aptidão para o remate e abriu o caminho da glória, ainda escancarado por Grimaldo. Geringonça à esquerda As apostas em Yuri Ribeiro e Zivkovic saíram furadas. O lateral, então, teve uma noite para esquecer, levando ao desespero os adeptos. Substituídos ao intervalo, foram os símbolos de uma primeira parte muito pobre. Lance para penálti Assinalou falta sobre Gabriel, mas é o brasileiro que atinge Petkovic. Apesar da ‘matreirice’ do croata, parece haver motivo para penálti. Mal a nível disciplinar – tanto deu um amarelo por simulação inexistente a Petkovic, como perdoou claros cartões ao Dínamo. Rigoroso na expulsão por protestos. “Passagem com mérito” Bruno Lage estava satisfeito com o resultado e a “exibição em crescendo” do Benfica. “A única coisa a lamentar foi termos ido para os 120’. Foi um resultado justo e uma passagem com muito mérito”, disse o técnico no final do jogo. O treinador das águias reconheceu ainda que as entradas de Grimaldo e Jonas ao intervalo surgiram mais cedo do que o previsto: “Eram os dois únicos jogadores que me preocupavam. Ao intervalo tivemos essa opção, até porque o Iuri e o Zivkovic não tiveram uma boa prestação.” Sem preferência para o próximo adversário, Lage garante estar já a pensar no Moreirense: “Domingo vamo-nos apresentar da melhor forma.” “Senti que tinha oportunidade” Ferro marcou ontem um grande golo. “Senti que tinha oportunidade e correu bem”, explicou. Sobre o desgaste físico, o defesa afirmou: “Temos uma grande estrutura que nos vai ajudar a estar a cem por cento no domingo.” Odysseas –Espectador no primeiro tempo. Depois foi colocado à prova num remate venenoso de Olmo e numa saída perto dos 90’. André AlmeidaDesceu muitas vezes pelo corredor, mas sem grande discernimento. Cumpriu. Rúben Dias – O ‘panzer’ Petkovic deu que fazer mas esteve sempre seguro. Ferro – Exibição de luxo do jovem central. Deu início à jogada que resultou no 1-0. No 2-0 atirou uma bomba. Iuri Ribeiro – O elo mais fraco e de longe. Não acrescentou nada à equipa. Fejsa – Regresso com o registo de sempre. Segurança e várias bolas recuperadas. Gabriel – Começou muito bem com as habituais variações de flanco. Importante após o descanso. PizziAndou perdido até meio da primeira parte. Depois foi o motor do ataque. Teve nos pés um golo antes do 1-0. Assistência perfeita para Jonas. Zivkovic – Sem profundidade. Parece um corpo estranho neste Benfica de Lage. Rafa Silva – O mais irrequieto da frente. Arrancada vertiginosa que merecia mais. Jota  – A estreia cinzenta como titular. GrimaldoDeu o que Iuri nunca deu e fez um golaço. João Félix – Um remate disparatado e pouco mais. Gedson – Sem tempo.

About the author

El Pais de España

$total = count($links); $i = rand(0,$total-1); ?>